Bate-papo com Christiane Oliveira

Uma das porta-vozes do Senac RJ junto à sociedade, a Gerência de Comunicação e Marca teve, e ainda tem, um importante papel e uma grande responsabilidade na atuação da instituição durante o isolamento social imposto pela Covid-19. “Isso não quer dizer que a Comunicação seja o setor de maior destaque neste período. Sem as demais equipes, não haveria nada a comunicar. Sem o trabalho de todos os grupos, a nossa mensagem não chegaria à sociedade”. Tal ponderação é de Christiane Oliveira, gerente de Comunicação e Marca do Senac RJ e a entrevistada desta edição na seção Bate-papo com a liderança.
A tarefa de conduzir a conversa, que aconteceu por chamada de vídeo, coube aos colaboradores Nathállia Miranda, analista de sustentabilidade do Sesc RJ, e Guaraci Silva, analista pleno da Gerência de Suprimentos do Senac RJ. Além do trabalho da Gerência de Comunicação e Marca, o bate-papo abordou a trajetória profissional de Christiane, a rotina em home office e os desafios pessoais da gestora em meio ao distanciamento social.

Dando início ao bate-papo, Guaraci pediu à gerente que falasse de carreira e de sua experiência profissional. Formada em Publicidade e Propaganda, com especialização em Marketing, antes de chegar ao Senac RJ, Christiane trilhou o seu caminho no mercado de varejo. “Atuei em diferentes empresas de varejo e, em 2016, aceitei o desafio de me unir ao Senac RJ”, contou a líder, cuja gerência engloba as áreas de mídias digitais, de criação e mídia offline e de conteúdo.


Dando seguimento ao papo, Nathállia perguntou à gestora como foi a transição para o home office, em meados de março, e como tem sido a condução das equipes desde então. “No início, passei por um momento de tensão que, de certa forma, me levou a ver as coisas mais claramente. Desde sempre, sentia que o Senac RJ precisava se posicionar frente à situação do mundo como uma instituição que apoia as pessoas mesmo durante o afastamento social. Aos poucos, nós fomos nos estruturando e nos organizando, criamos uma estratégia de posicionamento e campanhas para atingir e engajar o público”, comentou Christiane, complementando que, em relação à condução da equipe, a percepção que tem é de que o entrosamento ficou ainda maior e a dinâmica profissional ainda mais afinada:

— Olhando para trás, vejo que tivemos muito êxito nesses últimos meses. Estamos mais unidos, integrados, temos mais trocas e construções coletivas, estamos ainda melhor como equipe. Aliás, isso vale para toda a empresa, vejo o Senac RJ ainda mais potente depois desse desafio.

O mundo não é mais o mesmo. E, claro, o modo como as empresas se posicionam em sociedade e operam também não. Como uma profissional ligada à sustentabilidade, Nathállia trouxe para o bate-papo a questão da postura das marcas em um mundo pós-coronavírus. Ela quis saber a opinião de Christiane sobre de que maneira as empresas devem reagir frente às mudanças trazidas por essa nova realidade. “Muitas marcas mostraram durante a pandemia que são capazes de se reinventar, criaram redes de solidariedade, agiram em prol da sociedade, mas será necessário ainda mais: repensar processos, inovar. É preciso abraçar a tecnologia e a inovação por um mundo mais sustentável e inclusivo. As marcas têm papel fundamental nessa dinâmica e quem não se engajar não terá espaço”, disse Christiane.

Mãe de dois meninos, Luca, de 13 anos, e Bernardo, de 11, Christiane também enfrentou desafios com a transição para home office na vida pessoal. Além da rotina intensa com os filhos em casa, que seguem estudando remotamente, ela precisou tomar à frente dos cuidados com a mãe de 88 anos, que exige atenção em virtude da idade avançada.
Sobre esse contexto, Guaraci quis saber como ela lidou com as demandas dessa nova realidade e como fez para dar conta dos aspectos profissional e pessoal de sua vida. “Da noite para o dia, precisei organizar toda uma nova rotina. Foi muito confuso no início, mas também consegui, com a ajuda do meu marido, organizar essa nossa nova realidade com equilíbrio dentro de casa”, disse.
Ainda sobre a vida a partir do distanciamento social, o colaborador perguntou que artifícios a gerente usa para relaxar, desestressar e cuidar de si. “Mesmo antes da pandemia, eu já vinha em um processo cuidar mais de mim e da minha saúde. Eu e minha família estávamos mais atentos à alimentação e qualidade de vida. Seguimos nesses esforços e, durante esse período, consegui emagrecer 10 quilos. Acho que funcionou como uma válvula de escape. Hoje, me sinto muito melhor e mais ativa”, contou a Christiane, acrescentando que ela e a família também aproveitam os momentos juntos para se divertir, o que ajuda a enfrentar o momento:

— Sempre fizemos tudo juntos, mas desde que estamos em casa por conta do coronavírus, criamos um novo hábito. Todo fim de semana, fazemos um churrasco na nossa casa, eu, meu marido, nossos filhos e minha mãe, conversamos, dançamos e aproveitamos para renovar as energias para encarar mais uma semana.

Encerrando a conversa, Nathállia e Guaraci pediram à gestora que deixasse uma mensagem aos demais colegas do Sesc RJ e Senac RJ. “Não há como sair ileso desse momento. Fomos sacodidos e precisamos entender a mensagem. É uma oportunidade de crescimento para quem estiver disposto. É preciso ser mais solidário, olhar para si e para os que estão ao redor de modo mais afetuoso, estar com a família e valorizar aquilo que temos. A minha mensagem é esta: reflitam, permitam que as mudanças internas aconteçam para que saiamos dessa melhores e mais generosos”, finalizou Christiane.

 

Veja o nosso #tbt desse mês.